Hospedagens para todos os bolsos, até mesmo na crise

Central Park Nova Iork
Central Park, em Nova Iork

Mesmo na crise, não deixe de viajar, algumas sugestões de hospedagens. 


Viajar vicia, fato, e já foi o tempo em que viajar era apenas para os ricos. Claro que neste momento de desvalorização do real, a crise está afetando os planos de qualquer viajante, mas desistir jamais. Vou deixar aqui algumas dicas.

No Mundo dos "clicks", que agora além de sites contam também com o maravilhoso mundo dos aplicativos, você resolve tudo simplesmente usando um celular. 

Blogs contendo relatos de pessoas que experimentaram cada informação, também são excelentes fontes. São muitas informações disponíveis para checar todas as possibilidades antes de embarcar e tentar evitar uma furada. Não que isso não possa acontecer, mas se você for cuidadoso, diminui bastante as probabilidades.  Ninguém fica mais preso a uma agência de viagens, mas também pode ser uma opção, pesquise bastante, essa é a principal dica.

Como amo viajar e hotéis nem sempre estão ao alcance do meu bolso, resolvi contar um pouco de diferentes experiências e quem sabe ajudar na sua escolha.



Encontre a que mais se encaixa com o seu perfil





Couchsurfing
Couchsurfing



Couchsurfing (grátis)
Tive experiências incríveis, tanto me hospedando como recebendo.

Pontos positivos
Você se hospedar na casa de alguém que mora (nem sempre nasceu) no local. Ninguém melhor para te dar dicas ou até mesmo te acompanhar aos lugares (lembrando que não é uma obrigação).


Pontos negativos (nem tão negativo assim)
Quando você se hospeda pelo couch (para os íntimos), acho que gentilezas são de bom tom. Ir ao supermercado, comprar uma lembrança para a pessoa, um vinho ou um chocolate, algo que ao longo da pequena convivência tenha se destacado como um gosto ou preferência da pessoa.
Quando falo que é um ponto negativo, mas nem tanto, é porque a estadia na maioria das vezes é tão corrida, que não dá tempo, o que me deixa a sensação de ter sido deselegante. Infelizmente nem sempre dá tempo de realizar esse pequeno gesto.

Um outro ponto negativo é você chegar exausto e o seu anfitrião, que na maioria das vezes trabalhou o dia inteiro, e ainda assim, mesmo cansado, quer dedicar um tempo ao seu hóspede. Não existe maneira elegante de sair dessa. Só tem um jeito, aceitar.



Airbnb
Airbnb

Airbnb (pago)


Experiência  tão incrível quanto a do couchsurfing, com a diferença de ser paga. Você pode alugar um sofá, um quarto ou até mesmo um apartamento só para você. Claro que quando você aluga um quarto dentro da casa da pessoa, tem a mesma vantagem do couch, que é a oportunidade de ter tudo que um “local” pode te dizer, orientar, prevenir, indicar (lembra das desvantagens também). Os valores são sempre muito interessantes. Em Nova York, por exemplo, que as hospedagens são caríssimas, é uma ótima opção. Algumas grandes cidades tentam bloquear o uso, claro, a indústria hoteleira não está nada feliz com isso.



Confortável quarto num hostel
Confortável quarto num hostel

Hostel (pago)
Essa é uma opção muito interessante, principalmente se você está viajando sozinho, porque com certeza você fará novos amigos (de infância). Se nem sempre as agendas de interesses combinarem, certamente vocês se encontrarão no hostel no fim do dia para dividir as aventuras. Se engana quem pensa que você só tem a opção de ficar em quartos coletivos, já fiquei em quartos coletivos, individuais, duplo, cada situação merece, dependendo da sua disponibilidade financeira, uma comparação.


Ponto negativo:
Especialmente se você estiver num quarto coletivo, ter que manter, por segurança,  tudo sempre guardado no locker.



Um hotel numa antiga construção
Um hotel numa antiga construção



Hotéis


Em alguns lugares você encontra hotéis com preços tão bons, especialmente se não estiver  sozinho, que claro que entre um quarto coletivo, num momento mega cansativo da viagem e um quarto que você pode chegar e largar tudo sem se preocupar, tem o seu valor. Geralmente são hotéis mais simples.

Essa rede eu já usei e recomendo, excelente preço: easyhotel


Para hotéis existem  muitas possibilidades, mais ou menos luxuosos, tem os sites de hotéis às escuras, eu particularmente nunca usei, mas conheço gente que usou e aprova o sistema.

Se você quiser se aventurar por essa experiência, deixo dicas de dois sites:
hotwire.com
priceline.com




Na minha recente trip pela Ásia, selecionei todas as minhas hospedagens ao longo da viagem usando apenas o aplicativo do Booking pelo meu celular. A minha decisão de ficar em hostels e hotéis mais simples, foi baseada nos preços que, se comparado à Europa ou Estados Unidos, são muito baratos.






Por último, um formato que ainda não experimentei, mas confesso que estou mega curiosa para 
conhecer um pouco mais, são os sites de turismo voluntário, ainda pouco conhecido por aqui, o voluntourismo.

Ainda não usei nenhum e estou pesquisando, percebi que muitas agências já está vendo nisso um nicho de mercado e você paga toda sua viagem para uma agência cuidar de tudo, passagem, hospedagem e inclusive o lugar onde você irá trabalhar como voluntária, esse tipo não me interessa, mas achei um bem interessante: workaway.info. Assim que tiver alguma experiência com essa modalidade, eu conto.




Nenhum comentário