Por que visitar o sítio Burle Marx, em Barra de Guaratiba? Saiba tudo aqui.

 Sítio Burle Marx
Sítio Burle Marx

Todos os motivos para visitar o Sítio Burle Marx, em Barra de Guaratiba.


História

Burle Marx nasceu em São Paulo, em 1909, filho de um alemão com uma pernambucana, ambos muito cultos e com grande paixão pela música. Em 1913 a família mudou de São Paulo para uma chácara no Leme. Aos dezoito anos foi para Europa, onde permaneceu por mais de um ano, e lá estudou desenho, pintura, música, frequentou óperas e visitou muitas exposições. Van Gogh era um dos seus preferidos.



 A ruptura de Burle Marx com o paisagismo de influência europeia, que era o praticado no Brasil, na época, teve início muito cedo, visitando o Jardim Botânico em Dahlem, em Berlim, já nessa época ele toma consciência do potencial da nossa flora, que resultou na criação de um jardim tropical moderno.

Em 1949, foi comprado por Burle Marx, e seu irmão Guilherme Siegfried Marx, o sítio hoje chamado de Burle Marx. Na época se chamava Sítio Santo Antônio da Bica e pertenceu ao ciclo da banana. A ideia já era instalar ali a coleção de plantas que Burle vinha desenvolvendo e colecionando desde criança.

No local já havia uma antiga casa de fazenda e uma capela, que foram reformadas. Somente em 1973  ele mudou definitivamente para o sítio, onde viveu até sua morte em junho de 1994.


Capela do Sítio Burle Marx
Capela do Sítio Burle Marx



Em março de 1985, preocupado com a preservação de sua extraordinária coleção botânica, Burle Marx doou o sítio ao governo brasileiro, ao IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), com o objetivo de preservar e transmitir conhecimento.

O sítio tem uma área de 405.325,63 m² e reúne as mais importantes plantas paisagísticas tropicais e subtropicais do mundo. São 3.500 espécies de plantas


Sítio Burle Marx
Sítio Burle Marx



Em 1985, sua coleção  botânica foi considerada patrimônio cultural brasileiro. Em 2000, o sítio foi integralmente tombado pelo IPHAN.



Sítio Burle Marx
Sítio Burle Marx


Desde 1999, além dos jardins, a casa onde Burle Marx viveu virou um museu. Com "objetos de emoções poéticas", como ele dizia, adquiridos ao longo da vida. São mais de 3.000 itens, que inclui obras do próprio Burle Marx, como pinturas, tapeçarias, desenhos, murais em azulejos e suas coleções de vidros, cerâmica e muitas outros.



Azulejos do Sítio Burle Marx
Azulejos do Sítio Burle Marx



Lustre do Sítio Burle Marx


Tudo que você precisa saber para visitar o Sítio Burle Marx, em Barra de Guaratiba.

O sítio oferece visitas de terça a sábado, exceto feriados, todas guiadas por pessoal especializado. As visitas são pré-agendadas nos dias úteis de 8h às 16h, pelo telefone (21)2410-1412 ou por email: [email protected] Podem ser em português e inglês.

São atendidos dois grupos de no máximo 35 pessoas em cada horário. Pela manhã, no horário de 9h30 e na parte da tarde com início às 13h30.

A visita tem duração de 1h30min, a pé, percorrendo um trajeto de 1.800 metros. Indicado o uso de sapatos e roupas confortáveis. Trajes de banhos não são permitidos. Abuse do repelente.

O sítio possui um carro elétrico com cinco lugres para pessoas com dificuldade de locomoção e lugar para cadeira de rodas.


Sítio Burle Marx
Sítio Burle Marx


Lanches e piqueniques dentro do sítio não são permitidos, mas tem uma loja com sanitários e bebedouro, com algumas lembranças à venda.

Obviamente não é permitido colher qualquer flor, folha, semente, galhos ou frutas.

Informações sobre fotografias, de uso não pessoal, devem ser obtidas com a equipe técnica através do telefone (21)2410-3247 ou email: [email protected]

Ingressos: R$10,00
Estudantes e adultos a partir de sessenta anos pagam meia.
Gratuidade: crianças de até cinco anos, guias de turismo e professores, identificados.

Atividades Culturais

Pouca gente sabe, mas a casa oferece uma programação com saraus.

Como Chegar

De metrô: Descer  na estação Jardim Oceânico e pegar o BRT  na direção de Santa Cruz, descendo na estação Ilha de Guaratiba (a primeira após o Túnel da Grota Funda, no final do Recreio), e utilizar a linha 874 (ônibus de integração do sistema BRT), ou a linha 867 (Campo Grande – Barra de Guaratiba).

De ônibus: utilizar as linhas para a Barra da Tijuca – terminal Alvorada ou Recreio dos Bandeirantes. Depois utilizar a Transoeste, descendo na estação BRT de Ilha de Guaratiba e prosseguir com a linha 874 – um ônibus de integração do sistema BRT, ou com a linha 867 (Campo Grande – Barra de Guaratiba).

De Carro, a partir da Barra da Tijuca: seguir pela Avenida das Américas, atravessando toda a Barra da Tijuca e o Recreio dos Bandeirantes. Ao final do Recreio, ainda na Avenida das Américas, cruzar o Túnel da Grota Funda e virar à direita na segunda saída depois do Túnel. Passar por baixo do viaduto da Avenida das Américas e seguir as placas indicativas na Estrada Roberto Burle Marx.


Caso você não tenha um carro na cidade, alugue um com a Rentcars.




Sítio Burle Marx
Sítio Burle Marx



O blog é associado à RBBV (Rede Brasileira de Blogueiros de Viagens) e esta ação faz parte do calendário de atividades da célula RBBV RJ.

Outros blogs participantes desta ação:






Uma publicação compartilhada por Olívia Souza Cruz (@oliviagarimpandoporai) em

Nenhum comentário